Notícias

Notícias
FT500 e FT600: leitura de velocidade e marcha, nível de tanque, alerta EGT e muito mais
31/01/2017

Confira abaixo como configurar as entradas do seu módulo FT500 e FT600 para leitura de velocidade, sensor de nível do tanque, alerta EGT, detecção de marcha e botão de partida. Lembrando: As configurações podem ser efetuadas via computador com o software FTManager ou diretamente pelo módulo FuelTech.





  Este ícone indica que a função descrita está configurada no mapa de exemplo, faça o  download do mapa de exemplo no final da matéria.



> Leitura de velocidade: 

Como fazer a leitura? Para efetuar a leitura de velocidade pode-se utilizar o sensor original do câmbio e ABS (precisam ser sensores de efeito hall para o correto funcionamento), ou pode-se instalar o sensor de velocidade nas rodas 

Posso utilizar a leitura de velocidade para outras funções? Sim, o sinal de velocidade pode ser utilizado para atuar e corrigir diferentes funções como Controle de RPM e tração por velocidade, Curva de PWM de nitro por velocidade, Corte de arrancada (2-step) por velocidade, acionar uma saída por velocidade, controle de tração por velocidade e detecção de marcha (em conjunto com a rotação do motor).

     Mapa em anexo com:

   Configuração de velocidade em um carro de tração traseira 

   Velocidade das rodas dianteiras (Radial) e traseiras (Slick/DragRace)

   Uso de origem pelo fio branco (entrada)

Como configurar:

Acesse o menu Sensores e calibração > Tipo de Tração 

1Selecione o Tipo de tração: Configure aqui se o veículo no qual a ECU está instalada tem tração dianteira, traseira ou integral (4x4). Este dado é usado pelos controles de RPM e tração por velocidade. 

2Após no menu sensores e calibração clique em “Velocidade da roda dianteira” ou “Velocidade da roda traseira” conforme a configuração do seu carro. Estes dois menus reúnem as informações sobre a captação de sinal de velocidade das rodas dianteiras e traseiras. Configure na primeira tela se a leitura de velocidade será feita através de uma entrada analógica da ECU (fios brancos) ou através de sua porta CAN ligada ao FuelTech GearController pelo Chicote Can-Can. 

3. Com  a opção “fio branco” selecionada, é necessário configurar qual fio será utilizado para a roda direita e/ou para a roda esquerda (não é necessário ter as 2 rodas configuradas, caso utilize as duas, dê preferência para instalar no mesmo lado: direito ou esquerdo), bem como o número de dentes lido por volta. 

 

 4Por último estão as configurações relativas às dimensões dos pneus. Para pneus do tipo Slick/Drag Race é necessário informar apenas o diâmetro do pneu (em polegadas). 

Para pneus do tipo radial, é preciso configurar além do aro da roda, a largura do pneu e seu perfil. No exemplo das telas, estão as configurações para um pneu de aro 17, com 225mm de largura e perfil 45 (225/45 R17).

A configuração das rodas “Dianteiras/Traseiras”, conforme indicado nas imagens acima, utilizou apenas uma das rodas (dianteira esquerda) para efetuar a leitura de velocidade, a maioria das funções não requer que ambas estejam configuradas. 

5. Configuração do Gauge de Velocidade: Entre no menu "Configuração da Interface" e selecione a opção "Configuração do Painel de Instrumentos".

Selecione a posição que deseja utilizar para exibir a leitura de velocidade.



Após selecionar o gauge clique na entrada "Roda Dianteira" configurada anteriormente, e em seguida o tamanho do gauge 2x2, 1x1, 1x2 ou 2x1.



Por fim, configure os limites de exibição da leitura de velocidade, Mínimo: 0 km/h e Máximo: 180km/h. No seguinte menu é possivel configurar alertas de exibição, configure um valor mínimo ou máximo, exemplo: "Alerta para valores acima de: 80km/h", quando o carro ultrapassar 80km/h o instrumento/gauge ficará em destaque ao mudar a cor do fundo para vermelho.

 

 

 

  

> Detecção de marchas: 

Como fazer a leitura? Existem sete formas diferentes de fazer a detecção de marcha, cada uma para um perfil de instalação, identifique a que se adequa melhor ao seu carro: 

1-por queda de RPM (usado na arrancada), 

2-por sensor analógico de câmbio (para câmbios já equipados com o sensor), 

3-por velocidade (utiliza a relação do diferencial e a velocidade para indicar a marcha), 

4-por pulsos (através de uma entrada branca)

5-por saída para troca de marcha (sincronizado com a função de saída de troca de marcha)

6-por GearController integrado (apenas na FT600)

7-ou ainda por FTCAN 2.0 (para carros que possuem o GearController externo). 

Posso utilizar a detecção de marcha para outras funções? Sim, compensação de injeção por marcha, compensação de ignição por marcha, configuração do shift light por marcha e mapa de pressão de turbo (wastegate) por marcha. 

     
    Mapa em anexo com:

   Número de marchas: 5  (Relação GM Celta)

Detecção de marcha por velocidade e relação de marcha 

Painel de instrumentos com exemplos de uso

   

Como configurar: Utilizando a opção 3 basta fazer o cruzamento de dados de velocidade e RPM do motor para calcular a marcha engrenada no momento.  

1. Para configurar este modo, entre no menu Sensores e calibração > Detecção de marcha > Selecione o número de marchas do carro :
 

 2Em seguida selecione o tipo de detecção a ser utilizada, neste caso "Por velocidade" e configure a relação do diferencial do carro: 

3. Por último indique a relação de marchas. Este modo de detecção de marchas só mostra a marcha engrenada no momento após o veículo movimentar-se e houver leitura da velocidade da roda. O valor exibido pode apresentar variações enquanto o motor estiver desengrenado (ponto morto ou embreagem acionada).

4. A configuração da marcha no painel de instrumentos é semelhante ao procedimento descrito acima em "Leitura de velocidade (5)". Entre no menu "Configuração da Interface" >Configuração do Painel de Instrumentos.

Selecione a posição que deseja utilizar para exibir a marcha, em seguida selecione a opção "Marcha", ajuste o gauge conforme o tamanho desejado e os limites de exibição mínimo e máximo.



 

 > Sensor de tanque: 

Como fazer a leitura? Utilize o sensor original do carro ou faça a instalação de um sensor analógico no tanque.

Posso utilizar a leitura do sensor de nível de combustível para outras funções? Sim, essa informação pode ser utilizada no painel de instrumentos, com um gauge de barras por exemplo, é possível também configurar um alerta de reserva. Na FT600, além do painel de instrumentos, é possível configurar um dos LEDs laterais como luz de reserva. 

     
    Mapa em anexo com:

   Entrada customizada número 7

   Sensor original do GM Celta

   Painel de instrumentos com exemplos de uso
 

Como configurar: Conecte o seu módulo FT500 ou FT600 no computador e abra o software FT Manager, em seguida entre no menu Sensores e Calibração > Entradas e siga as instruções abaixo conforme cada menu:


1Nome do canal:  Selecione uma entrada que esteja livre e clique em "Entrada habilitada", para habilitar a entrada, a cor deve mudar de vermelho para verde.

- Nome predefinido: Clique selecione a última opção da janela > "Medida customizada (nº entrada)".
- Nome customizado: Preencha o nome da entrada "Nível de combustível"
- Nome no painel: Insira aqui o nome que deve aparecer no painel: Tanque
- Unidade: "%" (Exemplo: Vai aparecer na tela "Tanque 20%").
- Casas decimais: 2 (Min: -320,00 Max: 320,00)

2Filtro Digital: Selecione a opção "Filtro digital habilitado"

- Número de pontos de média: Corresponde ao número de pontos lidos em um determinado intervalo de tempo, quanto maior o valor configurado, mais "suavizado" será o sinal do log, valores em torno de 60 são indicados para os sensores com pouca variação em um curto intervalo de tempo. Exemplo: Sensor de temperatura do ar.

Já, para as leituras que variam mais rapidamente em curtos intervalos de tempo, pode-se utilizar valores em torno de 7. Exemplo: Sinal de sonda lambda e pressões.

- Frequência do filtro: Valor padrão recomendado 50
- Fator Q: Fator de qualidade do filtro, valor padrão recomendado 0,60 

3. Sensor de entrada: 
- Tipo de sinal: Analógica (sensores de 0-5V)

- Tabela de interpolação: Geralmente os sensores de nível do tanque trabalham com uma tensão baixa, Astra e Gol ficam na faixa de 40 a 280 Ohms = 0,2 a 1,1V. Estas informações devem ser inseridas na tabela de interpolação,  clique em "preencher valores " insira os dados.

Tensão

Valor

0,200

0,00

1.100

100,000

  

 4Configuração no painel de instrumentos: Entre no menu "Configurações do Painel de Instrumentos".


- Quantidade de dashboards: Na versão 3.10 é possível criar até 4 telas de dashboard na FT600, selecione o número desejado.

- Modo de acionamento do botão de dash: Caso utilize múltiplos dashboards, pode-se mudar as telas diretamente no módulo ou por meio de um botão externo, neste menu deve-se selecionar a tensão de acionamento do botão por 0V ou 12V.
 

 Selecione o gauge que você deseja exibir a leitura do Tanque: 


5. Em seguida selecione "Informação" e clique na entrada "Tanque" configurada anteriormente




- Tamanho da informação: Selecione o tipo de gauge desejado, pode-se escolher o tamanho e o formato em barra ou digital.
 

- Limites de exibição: Configure os limtes de exibição da leitura do Tanque (0-100%)

- Alertas de exibição: neste menu você pode selecionar um alerta para ser exibido na tela do seu módulo, pode-se configurar um valor de alerta mínimo "Valores abaixo de" ou máximo "Valores acima de". Exemplo com "Valores abaixo de": Inserido o valor 10, quando o nível do tanque baixar de 10% o instrumento mudará de cor para destacar o alerta.

 

> Alerta de EGT: 

O que é EGT e como fazer a leitura? Também conhecido como pirômetro, EGT significa (exhaust gas temperature = “Temperatura dos gases de escape”), para fazer a leitura será necessário utilizar um sensor termopar do tipo K no coletor de escape (caso queira fazer a leitura por cilindro você vai precisar instalar um sensor termopar para cada cilindro), além disso deve-se utilizar o condicionador de Termopar ETM-1 FuelTech   ou EGT-8 CAN em conjunto com o sensor.


Quais tipos de alerta de EGT posso utilizar? Com o uso do sensor EGT é possivel utilizar dois tipos de alertas, o "Alerta de temperatura baixa de gás de escapamento (EGT)" e o "Alerta de temperatura alta de gás de escapamento (EGT)", ambos com diferentes tipos de atuação para proteger o motor. 

Este tipo de alerta só atua em EGTs configurados por cilindro. EGTs por bancada ou geral são desconsiderados da análise.
 

   Mapa em anexo com:

   EGT geral usando entrada branca e ETM 1

   EGT de 4 cilindros usando EGT8-CAN 

Telas com diferentes gauges pra EGT

Alerta de temperatura baixa de gás de escapamento (EGT)

Alerta de temperatura alta de gás de escapamento (EGT)

 

Como configurar: Primeiramente configure as entradas correspondentes ao termopar de cada cilindro.

1. Entre no menu Sensores e calibração > EGT, neste menu é possível configurar os condicionadores para termopar e indicar onde cada um deles está instalado (cilindro 1, 2, etc.).  

 

2. Para configuração nos fios brancos utiliza-se o ETM-1 (ou outro condicionador com saída analógica), da mesma forma como a sonda lambda, é possível fazer o ajuste de offset. 

3. Para utilização do EGT-8 CAN a FTCAN 2.0 deve estar selecionada, caso não esteja entre no menu Sensores e calibração > Comunicação CAN > Selecione a opção FTCAN 2.0 e enviar dados em tempo real.

Em seguida selecione qual modelo está sendo utilizado (EGT A ou B) e qual canal (1 a 8).

 

  Alertas de EGT -  Como configurar: Entre no menu Configuração dos alertas navegue até os alertas abaixo:

4. Alerta de temperatura alta de gás de escapamento (EGT): Configure o valor de temperatura alta de gás de escapamento e defina o tipo de atuação entre “Apenas alerta”, “Modo segurança” ou “Desligar motor”. 

Apenas Alerta: O alerta será exibido no Painel de instrumentos. Nenhum corte no motor será efetuado. 

Modo Segurança: O alerta será exibido no Painel de Instrumentos. O motor receberá cortes de injeção e ignição limitando o funcionamento na rotação do modo de segurança.

Desligar Motor: Nesta opção o alerta será exibido no Painel de instrumentos. O motor será desligado efetuando corte de injeção e ignição simultaneamente. 

Nos 3 tipos de atuações, o alerta será ativado após 0,1 segundo na condição de problema e após 2 segundos de arranque do motor. 

No exemplo de configuração abaixo o módulo irá analisar a leitura dos termopares de cada cilindro e calcular a média entre eles, caso um dos cilindros apresente problemas de alimentação ou mecânicos que ocasione a elevação da temperatura acima de 800ºC,  o alerta será emitido, em seguida e o modulo irá atuar conforme a configuração selecionada para proteger o motor, neste caso irá desligar o motor.
 

  5Alerta de temperatura baixa de gás de escapamento (EGT): Configure o valor de temperatura baixa de gás de escapamento e defina o tipo de atuação entre “Apenas alerta” ou “Modo segurança”.


O alerta de temperatura baixa de gás de escapamento funciona da mesma forma que o de temperatura alta, porém considera a temperatura minima de trabalho, ou seja, caso a leitura fique abaixo do configurado devido problemas de ignição ou outros, um alerta será exibido. Neste caso é possivel configurar dois tipos de ações "apenas alerta" ou "modo de segurança".



> Botão de partida: 

O que ele faz? O permite ligar e desligar o motor através de uma saída com relé ligada ao motor de partida. O acionamento pode ser feito com através botão externo ligado a uma entrada branca ou por um botão configurado direto no painel de instrumentos da FT500 ou FT600. 
 

   Mapa em anexo com:

  Acionamento pelo painel de instrumentos 

  Modo de acionamento do botão externo em 0V

  Sinal de acionamento da saída ativo em 0V
 

Como configurar: Entre no menu "Outras Funções" e selecione a opção "Botão de partida"

1. Indique se quer que o acionamento seja por botão externo ou pelo painel de instrumentos 

- Se for por botão externo, configure uma entrada branca, e o nível de acionamento (ativado em 0V ou 12V)

- Se for por botão no painel de instrumentos, vá em configurações da  interface=>configuração do painel de instrumentos e configure onde desejar o botão de partida, escolha o tamanho dele entre 1x1, 2x1 ou 2x2.

  
2. Configure a saída que desejar (lembrando que para acionamento em 12V apenas as amarelas funcionarão) 
 

 

3. Indique qual o nível de acionamento da saída (0V ou 12V)
 


 
 


  Mapa de exemplo:
Clique aqui e faça o download do mapa de exemplo com as configurações acima já configuradas (Necessário software FTManager para visualizar o mapa)!






Não baixou o software FTManager? Faça o dowload aqui.

 





Compartilhe:

HISTÓRICO DE NAVEGAÇÃO

  • PALAVRAS PESQUISADAS

  • SEÇÕES VISITADAS

  • PRODUTOS VISITADOS